História da Louis Vuitton – Conheça mais sobre essa grande marca

Bolsas de requinte  têm nome e sobrenome: Louis Vuitton.

Além da qualidade de seus produtos, o sucesso da grife é atribuído ao fato de trabalhar com itens exclusivos, criando verdadeiros objetos de desejos em quantidade limitadas, que muitos sonham em ter.

Mas são poucos no mundo todo que conseguem.

Mas, você já parou para pensar como a marca conseguiu consolidar esse espaço no mercado de luxo? A reposta está na história da Louis Vuitton.

Conheça a História da Grife Louis Vuitton

Um francês chamado Louis Vuitton

A história da Louis Vuitton está totalmente vinculada à trajetória do seu criador que a emprestou o nome.

Nascido em uma pequena aldeia localizada no interior da França, Louis Vuitton tinha origem humilde, descendente de trabalhadores moleiros e carpinteiros.

Quando completou 14 anos, decidiu percorrer 400 km a pé até Paris para trabalhar com madeira.

Logo foi contrato como aprendiz por um fabricante de baús de viagem, utilizados pela alta sociedade francesa.

Durante o seu expediente de trabalho, o jovem Vuitton se destacava no ramo do designer, por fazer objetos de viagem que aliavam beleza e praticidade.

Em pouco tempo ele se transformou em embalador oficial do imperador francês Napoleão III e da imperatriz Eugênia.

Em 1854, o designer fundou a sua primeira oficina, a Maison Louis Vuitton Malletier.

As pessoas que podiam procurar os seus serviços contavam com novidades no setor de acessórios para viagem, como malas à prova d’água, feitas com um material impermeável em substituição ao couro.

Essa criação foi uma revolução no setor também porque a pele natural dos animais proporcionava mal cheiro às malas da época.

Os cantos dos baús também ganharam revestimentos de ponteiras de metal, tornando-os mais resistentes.

Louis Vuitton continuou produzindo por encomenda acessório que eram muito exclusivos e únicos.

Entre eles, destaque para um baú que virava cama, criado sob demanda para um explorador europeu.

Ele utilizava quase sempre o mesmo material: madeira, zinco, cobre e lonas impermeáveis.

Mas sua inovação artesanal era a característica que o fazia ser reconhecido entre os ricos e nobres da época.

Continue lendo nosso artigo e saiba tudo sobre a história da Louis Vuitton.

 

Quando Louis Vuitton ganhou o mundo

Depois de conquistar Paris, a empresa de Louis Vuitton começou a ganhar o mundo a partir de 1870.

Um dos responsáveis por essa expansão foi Georges Vuitton, filho do designer, que comandou a inauguração do estabelecimento em Londres.

A marca continuou investindo pesado em produtos para viagem e grande parte de suas inovações foram feitas sob encomenda.

Entre elas, estão a mala exclusiva para sapatos e caixas para chapéus.

Georges não somente herdou os negócios de seu pai, mas também a habilidade de atuar no ramo do designer.

Na tentativa de driblar as imitações (sim, desde aquela época a empresa já tinha que lutar contra a pirataria), ele modificou muitas peças clássicas.

Como resultados de suas tentativas, podem ser citados a troca da famosa lona cinza, marca registrada do modelo Teianon, para uma estampada de listras beges e marrons.

Além disso, criou uma nova impressão em marrom e bege batizada de “Daimier”, inspirado nos tabuleiros de jogos de damas, que recebia a inscrição “marque L. Vuitton déposée” (marca registrada Louis Vuitton).

Mas foi somente seis anos depois de sua morte que a grife estampou seus produtos com a sua marca registrada: monogramas das letras LV granulados, coloridos de marrom e bege e acompanhados de símbolos que reproduziam flores.

Nas viagens de navios e trens, as pessoas que apareciam com um acessório revestido com essa estampa eram logo reconhecidas com nobres e de bom gosto.

A história da Louis Vuitton e seu Público

Até a década de 1980, a Louis Vuitton ainda tinha um público fiel, porém muito seleto. Isso mudou quando foi comprada pelo magnata francês Bernard Arnault.

Com ela, criou o maior conglomerado de marcas de luxo do mundo, a LVMH (Louis Vuitton Moët Henessy) para atender a demanda de consumidores ansiosos por esse tipo de produto.

Esse acontecimento marcou uma reviravolta na história da Louis Vuitton, que passou a ser conhecida em todas as partes do mundo.

Em 1996, a grife começou a explorar tendências, com o trabalho dos renomados estilistas Helmut Lang, Azzedine Alaïa, Vivienne Westwood, Isaac Mizrahi, Romeo Gigli, Manolo Blahnik e Sybilla.

Que reinventaram os acessórios clássicos da marca em comemoração aos seus 100 anos de existência.

A empresa investiu no estilista americano Marc Jacobs para renovar a sua coleção tradicional e ajudar na criação do catálogo de roupas, sapatos, relógios e joias.

Conhecido pela seu toque de modernidade, o profissional mostrou logo o porquê tinha sido escolhido.

Inovou na estampa com a célebre combinação do logotipo marrom e amarelo sobre o fundo de couro marrom, acrescentando símbolos da cultura pop e outras cores contemporâneas.

O legado do estilista permanece até hoje no investimento em ousadia e inovação das peças lançadas. No entanto, os produtos da grife ainda são exclusivos e sofisticados.

Quer saber a história de outras marcas e ainda aprender a importar produtos de grife?

Assine a nossa newsletter abaixo ou conheça a Academia do Importador. Aprenda mais sobre esses e outros assuntos relacionados à importação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *